Archive for the ‘Ciência’ Category

Quando o solo está doente

Uma planta é considerada planta indicadora quando nasce espontaneamente, sem ser plantada ou semeada, em uma determinada região, solo ou clima, que por ser mais adaptada a esta determinada condição ela apresenta vantagem no seu nascimento/crescimento e desenvolvimento em relação às outras plantas, inclusive às cultivadas. Neste caso ela pode ser caracterizada como uma erva daninha ou inço se aparecer em áreas de cultivos comerciais também podendo ser chamada de planta espontânea. **

Agumas ervas quando aparecem são indicativos de que existem problemas do solo. Veja algumas invasoras e o que elas indicam:

AS PLANTAS INVASORAS INDICAM
Barba-de-bode (Aristida pallens) – pastos queimados com frequência, falta de fósforo, cálcio e umidade.
Capim-arroz(Echinochloa crusgallii) – terra com nutrientes “reduzidos” em susbstâncias tóxicas.
Cabelo-de-porco(Carex spp) -terra muito cansada.
Plantago maior – Tanchagem -Solos com pouca aeração, compactados ou adensados.(b)
Capim-favorito(Rhynchelytrum roseum) – terras muito compactas e secas, a água não penetra facilmente.
Capim-amoroso ou carrapicho(Cenchrus ciliatus) – terra de lavoura depauperada e muito dura, pobre em cálcio.
Capim-marmelada ou capim papuã (Brachiaria plantaginea) -terra de lavoura com laje superficial e falta de zinco.
Capim-rabo-de-burro (Andropogon bicornis) – uma camada impermeável em 80 a 100 cm de profundidade, que represa água. Típico de terras abandonadas e gastas, solos ácidos com baixo teor de Cálcio(abf) , impermeável entre 60 e 120 cm de profundidade.(ab) Local que represa água.(a) Pouca fertilidade.(f)
Capim-seda(Cynodon dactylon) – terra muito compactada e pisoteada.
Carneirinho ou carrapicho-de-carneiro (Acanthospermum hispidum) – falta de cálcio.
Cravo-brabo(Tagetes minuta) – terra infestada de nematóides.
Fazendeiro ou picão-branco(Gaslinsoga parviflora) – terras cultivadas com excesso de nitrogênio e falta de cobre.
Gramão ou batatais ou grama mato-grosso (Paspalum notatum) – terra cansada, com baixa fertilidade.
Guanxuma ou malva(Sida spp) – terra muito compactada e dura.
Lingua de boi(Rumex spp) – excesso de nitrogênio.
Maria-mole ou berneira(Senecio brasiliensis) – camada compactada em 40 a 50 cm de profundidade, falta potássio.
Mamona (Ricinus communis) – solo arenoso com falta de potassio.
Samambaia(Gleiquênia) -solo ácido.

Fonte: * cuidados com a terra – IDACO – 1994

Anúncios

As safras das frutas

Tão variada quanto o tipo e o sabor das frutas, é também a época da safra de cada uma.  As   diferentes espécies de fruteiras e suas variedades  apresentam colheitas em diferentes épocas do ano. É possível, durante o ano inteiro, usufruir o sabor de cada mês, como pode-se ver na tabela abaixo:

O Sabor do Mês!
FRUTA MÊS LOCALIDADE
Abacaxi Janeiro a Março Paraíba e Minas Gerais
Açaí Setembro a Novembro Pará, Amazonas, Acre, Amapá e Maranhão
Acerola Janeiro a Junho Pernambuco, Bahia, RN e Paraíba
Banana Abril a Dezembro Bahia, S.Paulo, S.Catarina, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rondônia e Amazônia
Caju Setembro a Janeiro Bahia, Ceará, RN, Piauí
Caqui Fevereiro a Abril S.Paulo, RS, Paraná, Minas Gerais
Carambola Dezembro a Fevereiro Pernambuco, Maranhão, Piauí
Cupuaçu Novembro a Maio Pará, Maranhão, Amazonas
Graviola Agosto a Outubro Ceará, Piauí, RN
Jaca Outubro a Abril Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Piauí
Jambo Novembro a Fevereiro Amazonas, Maranhão, Pará
Manga Outubro a Fevereiro Bahia, Ceará, Paraiba, Pernambuco, Piauí, Maranhão, Minas Gerais, S.Paulo
Melancia Junho a Setembro Bahia, Goiás, Mato Grosso, Pernambuco, S.Paulo
Pitanga Junho a Agosto Bahia, Pernambuco, RN
Tangerina Ceará, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Sergipe, S.Paulo
Umbu Dezembro a Fevereiro Bahia e Pernambuco

Fonte: http://www.cantoverde.org

Propagando frutíferas por Mergulhia

O morango é uma fruta que por ser rasteiro, se propaga facilmente por esse método.

O morango é uma fruta que por ser rasteiro, se propaga facilmente por esse método.

MERGULHO – É bastante simples. Consiste em enterrar um ramo à terra para que crie raizes próprias. Depois que o ramo desenvolver a raiz pode ser cortado da árvore mãe.   Dessa forma está feita  a nova muda.

Tutoramento das mudas do pomar

Elas podem ser conduzidas por diferentes suportes, que devem ser muito fortes e duráveis, para acompanhar a longeva vida da planta.

Algumas plantas devem ser conduzidas por diferentes suportes, que devem ser muito fortes e duráveis.

Algumas plantas precisam encontrar, para se desenvolverem, um apoio no qual possam subir.

Dotadas de gavinhas, algumas frutíferas se desenvolvem fixadas em muros ou em um canto que se permitam apoiar para subir em direção ao sol. A uva, o kiwi, o maracujá e a laranja-trepadeira agem dessa forma. Por isso precisam ser plantadas e apoiadas em algum tipo de treliça ou caramanchão.

É necessário fazer a armação e só depois plantar a muda que deverá ficar a 30 graus de inclinação em relação ao solo.  Seus ramos devem ficar voltados para o suporte em que vai se apoiar. No início, a muda vai precisar de uma pequena ajuda. Deve-se prender os ramos ao tutor e depois deixar que a planta vá subindo sózinha.

Receitas caseiras para combater as pragas do Pomar

Uma boa maneira de combater pragas nos pomares é a utilização da calda bordalesa. Pode-se encontrar já pronta mas pode-se, fazer na própria propriedade.

Segundo o Eng.° Agr.° Sílvio Roberto Penteado, “A calda bordalesa deve ser aplicada preventivamente. Os tratamentos devem ser feitos sempre em pré e pós-florada, para não afetar o pegamento das flores. Após a aplicação da calda bordalesa, dar um intervalo de 25-30 dias para aplicar a calda sulfocálcica. A bordalesa pode ser aplicada 15 dias após a sulfocálcica.”

Agora a receitinha de como fazer a calda bordalesa em casa. Os ingredientes são:

  • 200 gramas de sulfato de cobre(é fundamental que tenha 99% de pureza)
  • 250 gramas de cal virgem
  • 20 litros de água e
  • saco de pano ou “perfex”

Preparo da calda:
Coloque numa vasilha 1 litros de água;

  • Faça uma espécie de sachê com o perfex ou saco de pano e preencha com 200 gramas de sulfato de cobre; Mergulhe parcialmente o sachê na água por três ou quatro horas, ou até que o sulfato de cobre se dissolva completamente;
  • Despeje o leite de cal na solução de sulfato de cobre e mexa bem;
  • Agora, antes de usar a calda, seria bom fazer um teste de acidez, mergulhando no preparado uma lâmina de ferro. Se o preparado estiver muito ácido, o que pode prejudicar as plantas, a lâmina de ferro escurecerá. Neste caso, acrescente um pouco mais de cal à calda e teste novamente. Faça isso quantas vezes for preciso, até que a lâmina de ferro não escureça mais.
Amarrar um saquinho de pano, de preferência gaze, cheio de pimenta vermelha na planta é um outro macete bastante usado.

Amarrar um saquinho de pano, de preferência gaze, cheio de pimenta vermelha na planta é um outro macete bastante usado.

As formigas são uma praga muito comum, seja no pomar, na horta ou no jardim. Algumas medidas naturais para repelir formigas consistem em fazer barreiras de farinha de osso, casca de ovo moída ou carvão vegetal. Também é possível usar suco de pimenta vermelha, embebedando um pano e amarrando em volta do tronco das árvores ou plantas. Em caso de árvores frutíferas, pode-se também amarrar um cinto de pano embebido em graxa. Mais informações sobre a calda bordalesa no endereço web http://www.cati.sp.gov.br/novacati/tecnologias/producao_agricola/calda/calda_bordalesa.htm

Outras pragas do Pomar

No caso de pragas sempre bom é prevenir do que remediar. Uma boa medida é plantar espécies resistentes e adaptadas ao local de plantio e na época certa. O solo deve estar sempre em boas condições e deve-se utilizar sempre produtos naturais. Caso não seja possível, peça antes orientação técnica antes de usar defensivos. Segue adiante mais algumas das pragas mais comuns nos pomares:

ÁCAROS – causam lesões que provocam o murchamento das folhas. É controlado através de inseticidas a base de enxôfre.

pontinhos brancos que sugam a seiva da planta, enfraquecendo-a.

Cochonilhas são pontinhos brancos que sugam a seiva da planta, enfraquecendo-a.

COCHONILHAS – são pontinhos brancos ou avermelhados que esgotam a planta por sugar as folhas e talos. O seu controle é feito com óleos emulsivos.
Emulsão de óleo: leve 1 kg de sabão picado, 8 litros de óleo mineral e 2 litros de água ao fogo até levantar fervura. Mexa até virar uma pasta, que pode ser armazenada para futuras aplicações. Na hora de pulverizar a emulsão, dissolva a pasta em água morna e misture o equivalente a 300 gramas para cada 20 litros de água fria.

TRIPES – As plantas atacadas pelos tripes ficam com uma cor prateada e suas folhas ficam retorcidas e caem prematuramente. Eles atacam as folhas e os frutos mais novos e seu controle é feito com inseticidas à base de fósforo e cloro.

GORGULHOS – se alimentam de folhas maduras, deixando-as quebradas. O controle é feito por catação manual.

BROCAS – fazem furos por todo tronco da planta. O controle da broca é feito pela aplicação de carbureto de cálcio nos furos causados pelas brocas e um pouco de água para provocar fumaça. Depois pincele o tronco com cauda bordalesa.

LARGATA DAS FOLHAS – comem as folhas e o seu controle é feito com inseticidas específicos.

LESMAS – comem as folhas das plantas rasteiras. Seu controle é por catação manual.

Pulgões são pequenos piolhos que sugam as folhas da planta.

Pulgões são pequenos piolhos que sugam as folhas da planta.

PULGÕES – são pequenos piolhos verdes, brancos ou pretos que sugam as folhas, prejudicando que a planta execute a fotossíntese. Seu controle é feito através de calda de fumo ou um macerado de urtiga.

Calda de fumo: pique 20 gr de fumo de rolo, coloque em 1 litro de água e deixe ferver durante meia hora. Coe em pano fino e dilua a mistura em 4 litros de água. Depois é só pulverizar sobre as plantas, em especial nas partes afetadas pelos insetos.

Dicas muito técnicas e muito completas podem ser obtidas no site http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Citros/CitrosBahia/pragas.htm.

Mosca da Fruta

A estratégia a ser adotada é evitar a proliferação da praga nos pomares com o manejo da colheita  e coleta de frutos caidos, monitoramento com armadilhas.

A estratégia a ser adotada é evitar a proliferação da praga nos pomares com o manejo da colheita, coleta de frutos caidos e monitoramento com armadilhas.

A mosca da fruta Drosophila melanogaster é uma mosca que comumente pode ser encontrada próximas a frutas. O tipo mais comum é o chamado selvagem, que apresentam o corpo na cor marrom, os olhos na cor vermelha e asas normais. Outros tipo de drosófilas menos comum são as denominadas mutantes, pois apresentam alguma variações em relação as características encontradas nas drosófilas selvagens, ou seja, possuem olhos vermelhos e corpo marrom, porém não voam (asas vestigiais).

Para combate-las:

Utilizam-se armadilhas (garrafas de plástico incolor), encontradas no mercado. No interior da garrafa colocam-se 100 cm3 de uma solução atrativa, que pode ser obtida pela mistura de 70cm3 de melaço (pode ser substituido pelo açúcar mascavo ou cristal). É feito uma garapa com a fruta do pomar que se prretende proteger, e, a uma diluição de 25% em água, ou vinagre a 10% de diluição.

As garrafas são fechadas e presas às plantas por meio de argolas feitas com arame passado uma ou duas voltas em seu gargalo, logo abaixo do bocal. Devem ficar protegidas dos raios solares, utilizando-se uma garrafa por planta.