Propagando frutíferas por Borbulhia e Encostia


É o método de enxêrtia mais comum, feito com uma gema ou “olho” destacado do ramo com certa porção de casca. O pedaço da casca retirado para o enxêrto pode ter a forma triangular, quadrangular ou irregular, embora se use mais a forma aproximada de um triângulo.

Utiliza-se como enxerto a gema  do ramo que se quer cultivar, fixando-a no porta-enxerto:

  • Abra um corte no cavalo em forma de T invertido.
  • Retire a gema da espécie que quer propagar.
  • Acomode a gema com cuidado, no corte em “T” do cavalo e amarre bem os dois com fitilho plástico. É necessário cobrir bem a gema para evitar o surgimento de pragas ou doenças.

Quinze dias após, entorte a ponta do cavalo para que o enxerto cresça reto. O enxerto por borbulhia deve ser feito na primavera para as frutíferas tropicais e no inverno para as temperadas.  As brotações posteriores do porta-enxerto devem ser eliminadas, mantendo apenas o enxertado.

ENCOSTIA – esse método é um dos processos mais simples de enxertia. Consiste em unir o porta-enxêrto e a estaca da planta a ser propagada. Basta fazer um corte lateral nas duas partes e juntá-las, amarrando um fitilho para que ocorra a união dos tecidos. Esse método é também conhecido como o  inglês-simples. É importante deixar algumas folhas quando cortar a ponta do cavalo. É importante também unir casca com casca para favorecer a “solda”. Depois que a planta já estiver “soldada” no cavalo, com algumas folhas, o fitilho poe ser retirado.

Fonte: http://www.cantoverde.org

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: